Billy Lima


Uma vida humilde e
um grande sucesso

Josias Biliardo Lima, o nosso Billy Lima, tem orgulho de sua origem humilde, numa favela nos arredores de Teresina, no Piauí. Aos 12 anos vendia lápis e cadernos nas ruas da cidade e dois anos depois já tinha sua própria banca de ambulante. Sua voz de adolescente era encoberta pelos outros vendedores quando anunciava sua mercadoria.Por isso, após a escola noturna, tomava aulas de impostação com o tio, locutor de um parque de diversão, com quem aprendeu a usar a voz, falando ou gritando, recitando poesias ou cantando boleros de Lucho Gatica e Gregório Barrios, seus maiores ídolos até hoje.

Aos 17 anos, já experiente, conseguiu emprego de locutor numa rádio de Pato Branco, no Paraná. Quando saía do trabalho, encontrava longas filas de candidatos que queriam se inscrever no programa de auditório que oferecia ao vencedor uma oportunidade como cantor no cast da emissora.

Um dia, com sua voz potente e musical, decidiu fazer uma brincadeira com o pessoal da fila e gritou: Quem quer ser artista?!

Para seu espanto, cerca de 50 homens e mulheres o cercaram e disseram que tinham boa voz e queriam uma oportunidade como cantor. Billy então descobriu sua vocação, a de empresário de artistas, uma carreira que este ano completa 25 anos de muitos sucessos.

Conhecedor profundo do ramo de novos talentos e dos bastidores da música, cinema, rádio e televisão, ele é o criador da seção Quase Famoso, uma das mais populares do SacolãoBrasil.

Edição 030
Agnaldo rumo à fama
Edição 036
No Chile, com Leonardo e Gisele
Edição 046
Meu encontro com uma paixão: Buyla Bul Shitt
Edição 054
Sonho na parada gay
Edição 063
Tudo por Belinha
Edição 068
Um senador em Pato Branco
Edição 074
Um acidente que não se esquece
Edição 080
Filha cantora, mãe bonita
Edição 086
Pirarucu foi a glória
Edição 091
A fama no canavial
Edição 096
Eu vi Madonna e Madonna me tocou
Edição 101
Meu encontro com um galã de novela
Edição 106
Bumba-meu-boi corrupto