Hércules Olhovivo


Hércules e Defecon,
aliados contra os trapaceiros

De família de muitas posses, Roberto Diniz Sé Mendonça é o único herdeiro de uma grande cadeia de supermercados em todo o Brasil, da qual foi presidente por 11 anos. Em 1991, desiludido com o seu cargo e os preços dos gêneros alimentícios, que não paravam de subir, causados pela inflação e por atravessadores, ele resolveu abandonar tudo. Passou a presidência da empresa para um primo. Decidido a combater a inflação e principalmente os executivos e fornecedores de supermercados que vivem enganando o público, fundou o Defecon (Defesa do Consumidor), hoje uma das mais atuantes e respeitadas Ongs em todo o mundo.Adotou o pseudônimo Hércules Olhovivo (símbolo de sua implacável batalha em favor do povo) e criou uma rede nacional de fiscais e colaboradores que vasculham todo mês cerca de 1.000 supermercados e mercearias em todo o país.

O Defecon já denunciou, processou ou fechou as portas de dezenas de supermercados, por adulteração nos pesos de produtos, artigos contaminados e mais de 5 mil fraudes em cerca de 12 mil gêneros alimentícios.

Por sua dedicação ao consumidor, sua luta sem quartel aos maus comerciantes, Hércules Olhovivo já recebeu 240 condecorações, nacionais e estrangeiras, e diz que seu trabalho e dos colaboradores está apenas começando.

“O Brasil é um país de trapaceiros, que incluem desde os poderosos de Brasília até o mais modesto dos fornecedores”, ele afirma. “Se você anula, processa ou põe na cadeia 10, daí a pouco surgem 30, mais vorazes ainda. Por isso, estamos aumentando nosso exército de vigilantes e treinando novas técnicas. Tenho certeza de que vamos pegar peixes bem grandes na nossa rede”.

Edição 012
Cheguei para defender o consumidor
Edição 015
Cuidado com os críticos de cinema
Edição 022
Cadeira, higiênico e vinho
Edição 028
Buracos no pão e vídeos eróticos
Edição 034
Os bancos não se emendam
Edição 044
Consumidor devia ter indenização
Edição 054
Reembolso para voto errado
Edição 059
Cuidado, é tempo de vigaristas!
Edição 065
Na Copa e no gerúndio
Edição 071
A tentação da lingüiça
Edição 077
Papel de rico e de pobre
Edição 083 Cuidados com as ceias natalinas
Edição 088 Televisão, cinema e camisinha
Edição 093 Fantasias de consumidor
Edição 099 Leitor ameniza a crise
Edição 107 Fiquem de olho nos preços natalinos