Stan O. Laurel


Humor bem americano

Nosso ex-colunista, o brasilianista americano Stan Oliver Laurel, não consegue explicar até hoje por que o nome que o pai lhe deu não lhe trouxe também grandes doses de humor. É que Stanley Oliver Laurel é uma junção dos nomes de dois lendários cômicos de Hollywood, O Gordo (Oliver Hardy) e o Magro (Stan Laurel).

“Meu pai era fã deles, fanático mesmo, não perdia um filme, então, quando nasci, foi o jeito de homenagear seus ídolos dando ao filho o nome deles”, explica Laurel.
E acrescenta: “Mas o simples fato de me tornar brasilianista mostra que não sou destituído de graça, pois é preciso uma grande dose de humor e paciência para escolher o Brasil como tema”.

Para exemplificar o que diz, Laurel destaca dois dos seus 13 livros, “O Brasil Para Principiantes e Finalizantes” e “Gigante Eternamente Adormecido em Berço Nada Esplêndido”, bem como cerca de dois mil artigos em jornais e revistas, dos quais, mais da metade aborda com fina ironia a invencível corrupção brasileira.

“Isso não significa que não amo este país”, apressa-se em dizer, num português com forte sotaque caipira americano, típico do seu estado rural de Iowa. “Já pensei até em comprar uma casa por aqui. Só não comprei porque até hoje minha mulher se recusa a me acompanhar nas visitas ao Brasil. O motivo é simples: ela é totalmente destituída de humor. Ainda pior do que eu”.

Edição 025
A posse do presidente e o futuro do Brasil
Edição 026
Uma entrevista com o ministro da Cultura e o
trio elétrico como garantia da paz mundial
Edição 027
A guerra levou embora meus fiéis leitores
Edição 028
Perigos e delícias do fogo amigo
Edição 029
Um dia de cão
Edição 030
Sem-terra e sem-porta-malas
Edição 031
Quando explode o campesinato
Edição 032
Argentinista por um dia
Edição 033
Brasilianistas, uma kombi e um sofá
Edição 034
Só as índias ianomâmis são canibais
Edição 035
O Natal transforma até o ser
humano mais desumano
Edição 036
Um Natal de cão
Edição 037
Quanto riso, oh, quanta alegria!!!
Edição 038
Fui mineiro mandado de volta para
Governador Valadares
Edição 039
O novo avião do Presidente do Brasil
Edição 040
A dengue da corte
Edição 041
Com Lula na China
Edição 042
A quadrilha do mínimo
Edição 043
Acreditem se quiserem
Edição 044
Mordaça na Smith-Corona 1956? Nunca!
Edição 045
Por trás do nome, o lado mais sério da eleição
Edição 046
Na briga do galo, quem perde é o homem
Edição 047
Folguedos de paróquia
Edição 048
Que venha 2005, estou calejado de Brasil
Edição 049
Na escolinha do MST
Edição 051
Congresso desce mais ainda
Edição 052
Asses off
Edição 053
A Guerra da Estrela. O Império contra-ataca
Edição 054
Mala preta
Edição 055
Fuja, descobriram tudo!
Edição 056
Melhor fingir que nada se viu
Edição 057
Me desarme que eu gosto
Edição 058
Modorras do Planalto
Edição 059
Sobre sinos e cobras
Edição 060
Cinco anos em cinco
Edição 061
Operação tapa-buracos. Buracos de quem?
Edição 062
Eu deveria ter sido chargista
Edição 063
Foi o caseiro?
Edição 065
No meu celular ou no seu?
Edição 068
Dinheiro ou sangue?