ANO VII NÚMERO 73

O TEXTO DO SITE É OBRA DE FICÇÃO. QUALQUER SEMELHANÇA
COM PESSOAS E ACONTECIMENTOS REAIS É MERA COINCIDÊNCIA.

2007© - Ao Pé da Letra Jornalismo
Projeto Gráfico: i propaganda
(Site melhor visualizado na resolução 800x600)

Mulheres usam músculos
para enfrentar a violência
Cecília Gerardi: “Não queria
estar na pele dos assaltantes”
“Quem aparecer na minha
frente com má intenção vai
levar a sua”, garante Carina
Por Rosinha Mayfair
do caderno Ataque e Defesa
Cecília Gerardi, fundadora da Academia Mulheres na Defesa, localizada na zona norte do Rio, é uma bonita loura, 34 anos, 1,77m, cujo corpo é um misto de beleza feminina e de músculos exuberantes como poucos homens podem exibir, mesmo os atletas.
“Meu pai foi esportista a vida toda e na juventude chegou a ser campeão amador de boxe”, conta Cecília. “E sempre ensinou as filhas a se exercitar de todas as maneiras. Então, uma manhã, fui assaltada e agredida em pleno centro do Rio e tomei a decisão de abrir uma academia para ensinar autodefesa às mulheres”. (segue)
Cansadas de ser assaltadas, assediadas e insultadas nas ruas, nos parques e até em cinemas, as mulheres resolveram reagir e estão tomando uma decisão radical, matriculando-se em academias que ensinam autodefesa, como boxe, caratê capoeira e outras. A diferença é que essas academias, como vem se tornando cada vez mais comum em São Paulo, no Rio e outras cidades, foram funda-das e são dirigidas exclusivamente por mulheres, todas especialistas nos mais diversos tipos de lutas. E a maioria, também, já foi vítima de assaltos.
Vem aí mais uma grande atração!! Aguarde!!!