ANO IX NÚMERO 103

O TEXTO DO SITE É OBRA DE FICÇÃO. QUALQUER SEMELHANÇA
COM PESSOAS E ACONTECIMENTOS REAIS É MERA COINCIDÊNCIA.

2009© - Ao Pé da Letra Jornalismo
Projeto Gráfico: i propaganda
(Site melhor visualizado na resolução 800x600)

O deputado Fogna, do Maranhão, foi preso na Sicília

O deputado Paulo Alberto Fogna
(PTD-Maranhão) foi preso anteontem pela polícia italiana sob a acusação de ser importante membro
da máfia siciliana. Ele saía de um hotel em Castelvetrano, Sicília, quando policiais lhe deram voz de prisão e o algemaram. (segue)

Por Danilo Bugiardo
Enviado especial à Sicília
Família que já vendeu
280 imóveis não tem dinheiro para comprar
casa própria

280 imóveis de todos os tipos: apartamen-tos, casas, escritórios, terrenos e condo-mínios, mas até hoje não conseguiu
dinheiro para comprar a casa própria.
“Que ironia, não? Estamos há anos na profissão, já ajudamos a vender centenas
de unidades para milhares de pessoas, mas não há jeito de juntar umas economias e comprar nosso imóvel”, lamenta.

Morenos e louros

Ele diz que além das despesas normais da casa e da educação
dos filhos, há muitos gastos extras, como roupas finas para os quatro nos anúncios, transporte e alimentação, entre outras. As agências de publicidade, segundo conta, pagam 500 reais por uma pose do casal, mais 200 pelas crianças.
(segue)

Anete, Everton e os filhos Eveline e Evenson:
anúncios pagam muito pouco

Deputado brasileiro é preso na Itália
acusado de ser membro da máfia

Por Cassiana Fagiolata
Editora do Imóveis Para Todos

Everton César e a mulher, Anete, têm uma profissão não muito comum:
vendem casas, apartamentos e terrenos, aparecendo em anúncios de
jornais, revistas, folhetos e televisão. São chamados no
ramo de “modelos imobiliários” ou “família de apartamentos”,
quando os clientes querem crianças nos anúncios. Nesse caso, entram em cena os filhos do casal,
Eveline, de seis anos,
e Evenson, de quatro,
e ajudam a aumentar
o orçamento doméstico. Apesar
da idade, os dois já
são veteranos na profissão, com mais
de três anos ajudando
a vender imóveis.
Everton calcula que nos anúncios já
vendeu em dez anos